Cedido para Resenha,

Resenhando: Soldier - Leal até o Fim

10:21 Jéssica Figueiredo 8 Comments



Olá pessoal, tudo bom?

Hoje eu venho aqui com a resenha do livro Soldier - Leal até o Fim. Eu amo histórias com cachorros e amo mais ainda histórias que sejam retratadas em períodos de guerra. Eu sempre fico imaginando que a história pode ter sido real. Várias pessoas passaram por diversas situações no período de guerra. Sendo elas de terror, superação, coragem. O livro em questão é passado na Primeira Guerra Mundial. E trata sobre algo que eu não sabia que existiu que era o serviço de cães mensageiros. 

Quando Tom Ryder é convocado para lutar na Primeira Guerra Mundial, não imagina o quanto o seu irmão mais novo, Stanley, sentirá sua falta. A única alegria do garoto são os filhotes de Rocket, a cadela premiada que é o orgulho da família. Porém, ao descobrir que Rocket teve filhotes mestiços, o pai de Stanley fica furioso e ameaça afogar os cãezinhos.
Inconformado e desejando reencontrar Tom, Stanley foge de casa. Mentindo a idade, consegue se alistar no exército britânico. Somente o amor incondicional pelos animais será capaz de fazê-lo sobreviver à brutalidade e à frieza dos campos de batalha. Uma prova de que a inocência e a sensibilidade podem ser mais poderosas do que a guerra.

SOLDIER: Leal até o fim é um livro emocionante e intenso, recomendado para leitores de todas as idades, especialmente para os apaixonados por cães.



O livro começa com Stanley, um menino de 14 anos, que havia sem querer deixado sua cadela, Rocket, fugir. Ele começa a procurá-la temendo a ira do pai, chamado de Da. Tudo porque Rocket não era uma cadela qualquer. Era uma cadela premiada que havia ganho vários concursos. Depois que a guerra começou Rocket era a única coisa que o seu pai ainda se importava. O pior de tudo era que a cadela estava no cio, e algum cachorro vira-lata poderia destruir a linhagem pura da cadela.


A cadela aparece e seu pai logo percebe que ela irá ficar prenhe de mestiços. Logo o seu amor pela cadela parece sumir. E ele se distancia mais ainda de Stanley. O menino, então, pensa em seu irmão Tom que estava lutando na guerra. Ele não estava presenciando toda a mudança que o seu pai sofrera. Depois de um tempo Rocket dá a luz a alguns filhotes. Somente um único macho - que Stanley dá o nome de Soldier, em homenagem ao seu irmão.

"Sempre serei grato por você ser muito jovem para vir para a guerra" 

Seu pai, logo decide que irá doar os filhotes. Ele não queria filhotes mestiços em sua casa. Com o coração na mão Stanley vai junto com o seu pai. Porém, somente um dos filhotes não é levado - Soldier. Irritado por conta disso, seu pai ameaça afogá-lo. Stanley acredita que o seu pai nunca iria fazer algo tão terrível assim, porém, um dia Soldier some e Stanley acredita no pior. Horrorizado com o que o pai poderia ter feito Stanley foge para se alistar na guerra e encontrar o seu irmão. O que ele não sabia era que a guerra não era um lugar para alguém de 14 anos. Mesmo sem saber, a sua decisão havia transformado a vida de todos.

"Na porta, com uma mão no bolso, Stanley parou para olhar a sala pela última vez. Viu o apito na cadeira. Da veria o apito que o filho tinha feito para ele, talvez pudesse enxergar ali todo o amor e toda a esperança que ele havia destruído".

Gente, eu comecei a ler esse livro esperando uma história muito boa. E foi isso que recebi. Uma história que realmente pode ter sido real devido as pesquisas da autora. Ela coloca no final as referências e uma história real que ela usou para se basear. Eu realmente achei isso incrível dela. Deu um realismo a mais. Imaginar que eram utilizados cães na guerra era algo que eu não sabia. A Alemanha utilizava os cães para a entrega de mensagens, e os E.U.A. não tinha nenhum. Depois de vários pedidos, finalmente, os cães mensageiros começaram a ser treinados. Imagina só: durante a guerra você ter que pedir cães e começar a treiná-los do zero para a guerra. E depois disso ainda sofrer preconceito dos soldados por não acreditarem nos cães. Algo que sempre soube é que a lealdade dos cães é uma coisa incrível, fato que é bem narrado no livro. Incrível o que os cães de guerra faziam pelos seus adestradores.



Stanley é um garoto muito especial. Ele ama os cachorros com todas as suas forças. E o serviço de cães mensageiros cai perfeitamente para ele. Logo no início ele não leva fé no cão que é designado para ele, mas ele depois começa a ver que era um cachorro especial.
O livro é dividido em três partes. A diagramação está linda e simples ao mesmo tempo. Eles se comunicam por cartas e elas foram reproduzidas no livro. Uma fonte diferente para cada pessoa. 
Soldier foi um livro que tive o imenso prazer em ler, um livro que deixou o meu coração tenso em alguns momentos - já que se trata de guerra, nada mais justo. Porém, é um livro muito lindo! Ele trata não só sobre a guerra e os cães mensageiros, mas também sobre a família. O que fazemos pelas pessoas que amamos? O que estamos dispostos a fazer para reparar um erro?
Leitura mais do que indicada para as pessoas que amam cachorro e curtem histórias de guerra e querem ler algo a mais.

"-Faça o seu melhor, Bones. É muito importante. Fique sempre abaixado. Volte para cá. Acima de tudo, Bones, volte para cá" .
Bones é um cão.

Olha só que legal!

8 comentários:

  1. Oi Jess, tudo bem?

    Eu me arrependo amargamente de não ter solicitado esse livro, pois adoro histórias com ambientações em Guerra e cachorros, por isso não sei porque não solicitei. Adorei sua resenha e quero muito ler, agora vou comprar ele. Parabéns pela resenha.

    Beijos
    Leitora Sempre

    ResponderExcluir
  2. Li esse livro e adorei! Também adoro livros ambientados em guerras e não conhecia o serviço de cães mensageiros. Foi realmente muito legal o modo como a autora colocou as referências no final, só fez com que eu me encantasse ainda mais.

    Beijo.

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  3. Oii!!

    Eu não tenho costume de ler livro ambientados em guerra, mas acho que é porque nunca peguei um que mexesse muito comigo sabe?
    Gostei muuuuito da sua resenha. Achei esse pai ridiculo gente. Sou apaixonada por cachorros e fico indignada com essas coisas.
    Achei o personagem bem corajoso!
    Vou dar uma chance a leitura ;D


    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Jéssica, sua linda, tudo bem
    Eu já vi alguns filmes de guerra, e, em um deles, usaram cães para levar mensagens. E saber que a autora se baseou em uma dessas histórias reais, realmente torna o livro especial. O impressionante é que todo filme, ou documentário ou até mesmo livros sobre guerras, sempre me surpreendem com algo novo, que eu não conhecia. Acho que o mundo não conhece tudo o que foi feito.
    Esse livro parece ser lindo e tenho certeza pela sua resenha, de que irei ficar emocionada. Só espero que ele encontre o irmão e que o Soldier sobreviva, Sua resenha ficou ótima.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi, Jéssica!
    Não esperava tanto do livro e agora me arrependo de não ter pedido. A história parece ser bem legal, adoro quando envolve cachorro, mas tenho medo de danar a chorar que nem com Marley e Eu. rs
    Gosto também quando os autores criam histórias fictícias em um cenário tão real que pode ser possível.
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  6. Ola Jess
    Eu amo histórias com cachorras são sempre emocionantes, e pelo visto ainda temos historias de guerra. A capa está linda, essa carinho do cachorro está fofa. Já sei que vou chorar, irei preparar a caixa de lenços. beijos

    Joyce
    www.livrosencantos.com

    ResponderExcluir
  7. Oi, Jessica!
    A combinação de cães + dramas pode ser mais destrutiva do que muitos livros pensados para nos emocionar. Descobri isso com Marley & Eu. Agora quero muito ler Soldier, pois sua resenha me fez ver o livro com olhos marejados. Além disso, ele tem uma história fantastica. Preciso ler.
    Com carinho,
    Celly.

    http://melivrandoblog.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi Jéssica, tudo bem?
    Esse livro não me chamou a atenção justamente por se ambientar na guerra. Fiquei com medo de não curtir a leitura. Também não sabia que eram usados cães na guerra, que bizarro. Mesmo assim ao ler sua resenha, me senti atraída pela história, parece ser emocionante. Vou anotar a dica.

    Bjs, Glaucia
    www.maisquelivros.com

    ResponderExcluir