Cedido para Resenha,

Resenhando: Para Continuar

13:21 Jéssica Figueiredo 0 Comments



Olá pessoal, tudo bom?
Para Continuar é o mais novo livro de Felipe Colbert autor de Belleville - que eu ainda não li, mas tenho um grande interesse. O livro foi cedido pela editora Novo Conceito e faz parte do selo Novas Páginas, para autores brasileiros. A capa é simples, mas tem uma beleza que retrata o livro e me fez ter uma ideia de como as lanternas da história seriam. A diagramação também está muito bonita. Fonte e tamanho confortáveis e todo início de capítulo tem algumas lanterninhas. Recebi também um marcador de páginas muito fofo. 



Leonardo sofre de uma doença no coração chamada de cardiomiopatia dilatada idiopática, uma insuficiência no músculo cardíaco para bombear o sangue de forma natural. Isso o impede de fazer qualquer tipo de esforço. Uma pequena corrida poderia ser o seu fim. A causa de sua doença é desconhecida e foi descoberta em sua adolescência. Agora ele está na faculdade cursando design e tem um melhor amigo chamado de Gustavo, mas que ele e todas as pessoas conhecem por Penken, como ele é o melhor amigo ele chama de Penka.

Um dia no metrô ele observa uma menina japonesa que parece ter a mesma idade que ele. Por incrível que pareça ele sente uma vontade imensa de conversar com ela, de se aproximar. Por mais que ele não seja um cara sedutor ele senta ao seu lado e percebe que ela está escutando algo. Depois de perguntar qual música a garota escutava de repente ele sente que ela coloca o fone de ouvido nele. Era alguma música japonesa, da qual ele não entende nada, mas o simples gesto da garota faz com que ele praticamente entre em combustão.

Depois deste dia Leonardo termina descobrindo - não vou falar como - que a menina morava no bairro da Liberdade em São Paulo, onde tem a maior concentração de imigrantes Japoneses, Coreanos, Chineses - um dia eu gostaria de visitar haha. Seu nome era Ayako e ela ajudava o seu avô - que não falava português - na pequena loja de luminárias. Poderia ser o início de um romance normal se Ayako e seu avô não escondessem um segredo embaixo da lojinha. Um segredo que envolvia nada mais nada menos que o amor. Sempre quando alguém do bairro da Liberdade se apaixonava uma lanterna acendia no porão, de forma misteriosa. Apesar do segredo, Leonardo se depara com Ho, um chinês que sente um amor incondicional por Ayako, mas que não entende a diferença de certo e errado, terminando por sempre pedir ajuda a seu primo Kong - um líder de uma gangue. 



Eu sempre fiquei a fim de ler Belleville. Acho a capa muito bonita e a história bem interessante. Fiquei feliz quando vi quem era o autor deste livro - que veio autografado :3 sempre gostei muito da cultura asiática e o livro retrata algumas coisas. Nunca fui para o bairro da Liberdade, e acho que estou bem longe de ir, mas o autor fez algumas descrições bem interessantes e uma pesquisa sobre alguns costumes asiáticos. Quem vê anime ou dorama já está acostumado com algumas coisinhas. 
Leonardo é um menino que não consegue viver a vida do modo que queria por conta da doença - e o autor sobre explorar a doença no livro. Ele não citou a doença e a esqueceu. 

Leonardo tem muita dor de cabeça durante o livro por conta dela. - seus pais são super protetores o que o incomoda bastante. O amor que surgiu entre Ayako e Leonardo foi bem colocado e doce ao mesmo tempo. Acho que sou daquelas pessoas que acreditam em um amor puro e inocente e verdadeiro. Todo o drama do livro é voltado em Ho e seu amor por Ayako. Toda a dificuldade encontrada pelo casal se deve ao fato de que Ho muitas vezes não entender as consequências de seus atos, ele tinha algum problema que eu não consegui identificar muito bem, mas ele tinha o entendimento de uma criança. Algo assim. Kong que era o verdadeiro vilão da história. Ele sabia realmente o que estava fazendo, e várias vezes envolveu Ho em coisas perigosas. 



Logo no final do livro o autor conseguiu diminuir um pouquinho o meu coração, uma angústia de não saber o que iria acontecer e várias suposições passaram em minha cabeça. Acredito que o autor conseguiu contar, com uma escrita bastante gostosa, uma história muito fofa e bonita sobre o amor. O verdadeiro amor. Só queria saber um pouco mais sobre as lanternas, sou uma pessoa bastante curiosa haahha

Olha só que legal!

0 comentários: